FBT inicia o ano com a doação de cinco cadeiras de rodas adaptadas

A tradicional festa para entrega das cadeiras, com churrasco e bebidas, também comemorou a Páscoa com as crianças e seus respectivos familiares.


A ONG Fazer o Bem Transforma (FBT) realizou o seu primeiro evento do ano, no dia 23 de março, em Cotia (SP), para doar cinco cadeiras de rodas adaptadas.


Além de churrasco e bebidas à vontade, o evento também encantou as crianças beneficiadas com a presença do Homem de Ferro (personagem interpretado pelo voluntário Harry Ploner) e do coelhinho da Páscoa. Bruna Pinheiro, filha da presidente da FBT, Cristina Faviere, vestiu a fantasia de coelha e distribui ovos de Páscoa para todas as crianças. A música ao vivo ficou por conta de Marquinhos.

Crianças beneficiadas


Marjorie Loany de Souza, 13 anos, residente em Interlagos.

Recém-operada dos tornozelos e joelhos, Marjorie veio buscar a sua cadeira de rodas com muita alegria. Há três anos ela parou andar, já passou por cinco cirurgias e precisava muito de uma nova cadeira de rodas adaptada. A mãe Aurinda Silva de Souza conta que a cadeira velha estava pequena e que era preciso colocar travesseiros para não machucar. Por isso, às vezes, precisava carregar a menina de 36 quilos no colo. “O trabalho da FBT é maravilhoso. É disso que o país, de mais pessoas ajudando ao próximo”, diz.


Evelyn Aparecida de Souza Santos, 3 anos, residente em Itaquera.

A pequena Evelyn nasceu aos 7 meses de gestação, após a mãe Cícera Edineuza dos Santos sofrer um acidente carro. Seis meses depois, ela foi diagnosticada com Síndrome de West, enfrentou cirurgias, complicações e há poucos meses passou a se alimentar apenas por sonda gástrica e a utilizar oxigênio 24 horas. Sem a cadeira de rodas, Cícera precisava carregar a menina, que pesa 20 quilos, para todos os lugares. “Estou muito feliz, a cadeira vai ajudar a descansar minha coluna e dar mais conforto para minha filha”, diz.


Ruan Cruz Silva, 11 anos.

Adriana Mariana da Cruz, mãe de Ruan, estava muito feliz com a doação da cadeira. “Quase não dormi à noite de tanta ansiedade, parece que a cadeira é para mim”, diz. Ela conta que Ruan passou da hora de nascer, ficou sem oxigênio e como consequência teve a sua coordenação motora afetada. O menino jamais teve uma cadeira própria, sempre usava as cadeiras doadas por outras crianças. “Agora, sim, com esta cadeira vou levá-lo para tudo o que é canto, sossegada, porque que sei que ele vai ficar firme”, diz.




Gabrielly Duque Ribeiro, 7 anos, residente no Iguatemi, São Mateus.

A única cadeira de rodas da menina, segundo a mãe Valdirene Duque Ribeiro, foi ganhada de outra criança e, por isso, já estava pequena. “Ela ficava caindo para os lados”, diz. A mãe relata que aos cinco meses de vida, Gabrielly foi diagnosticada com Síndrome de West e, desde então, não anda. Apenas 3 meses depois de entrar em contato com a FBT, a menina conseguiu um doador para a sua cadeira. “Não tenho palavras para explicar como eu estou me sentindo. Faz tempo que estou tentando e agora consegui”, diz.


Daniel Martins de Almeida, 8 anos, Jardim das Oliveiras, Itaim Paulista.

Afetado pela Síndrome de Norrie, uma doença genética rara que provoca cegueira, mudez, surdez e atraso mental, o menino também precisa de sonda para se alimentar e utiliza oxigênio noturno. Segundo a mãe Jessica dos Santos Almeida, a única cadeira de rodas que ele tinha, ganhou de outra criança, dois anos atrás. Ela conheceu a FBT há um ano, mas como o seu contato foi perdido, somente agora conseguiu a cadeira. “Veio na hora que Deus quis. A cadeira dará mais conforto para e mais qualidade de vida”, diz.


Doadores e colaboradores

Durante a entrega de cadeira de rodas, a ONG FBT fez questão de homenagear alguns de seus fiéis doadores e colaboradores. Este é o caso de Cleide Faustino, contadora que desde 2017 presta serviços contábeis à FBT. Também marcou presença Clésio Marcos Figueiredo de Paula Silva, dono de uma banca de jornal na Rua Pedro de Toledo, ao lado da AACD, que há três anos colocou o seu estabelecimento à disposição para posto de coleta de lacres de alumínio.

Pela primeira vez no evento, o casal Jorge e Claudia Serdan se emocionou com a entrega de cadeiras de rodas. Em janeiro, eles comemoraram 25 anos de casados e, em vez de presentes, indicaram a FBT como uma das três ONGs para receberem doações. Ida Leone também compareceu para entregar a cadeia de rodas que doou, juntamente com a amiga Silvia Ananias.

Cristina Faviere conduziu a entrega de cadeiras, muito emocionada, e fez um apelo para que as pessoas continuem ajudando. Ela lembrou de um colaborador, em especial, que intermediou diversas doações de grandes empresas da área de seguros. “A FBT é muito grata a Adevaldo Calegari”, diz. Ela informou que a FBT tem realizado inúmeras ações para arrecadar fundos, desde bazares, rifas, eventos beneficentes etc.


Agora, a ONG conta com camisas oficiais autografadas de três times: Santos, Corinthians e Palmeiras, que serão rifadas. Os recursos já têm destinatários certos, as crianças que estão na fila de espera aguardando por uma cadeira de rodas.

Texto: Márcia Alves |Fotos: Carlos Candido


Posts Em Destaque
Posts Recentes