Crianças beneficiadas pela ONG FBT (parte 2)

Conheça as crianças beneficiadas pela FBT com cadeiras de rodas adaptadas, na entrega do dia 19 de agosto. Saiba suas histórias e como as novas cadeiras mudam suas vidas.

Três meses atrás, Juliana, mãe da DAVI DE ABREU JABOR, 9 anos, soube que a ONG FBT entregava cadeiras de rodas adaptadas para crianças carentes com problemas de mobilidade. “Já tinha ouvido falar, mas não acreditava. Até que um grupo de mães especiais me indicou, eu entrei em contato e foi tudo muito rápido”, diz. Residente em Osasco, ela conta que o menino, que nasceu com paralisia cerebral, mas tem a parte cognitiva preservada, tinha uma cadeira havia cinco anos, que já estava pequena. “Ele cresceu e as pernas já não cabiam na cadeira, estavam encolhidas”, diz. Davi foi beneficiado pela FBT com uma cadeira de rodas adaptada, doada por Paulo Bosísio e entregue no dia 19 de agosto, em evento realizado no Clube Juventus.



Com dois anos de idade, a pequena ELISABETE GONÇALVES PASSOS, portadora de paralisia cerebral, nunca teve uma cadeiras de rodas. “Ela ficava muito tempo deitada e devido à postura e tinha problemas respiratórios”, conta a mãe Gorete Gonçalves da Paixão, residente no Campo Limpo. Ela conheceu a FBT por meio da indicação de outra mãe especial. Ao receber da ONG FBT a nova cadeira de rodas adaptada para filha, Gorete comemorou: “Agora, ela ficará mais tempo sentadinha. A cadeira vai corrigir a coluna dela”. A cadeira de rodas foi doada pelos amigos de Eduardo Soares, do Jornal Notícias de Cotia, por intermédio da FBT.



Até agosto, GABRIEL MACEDO SOUZA, 6 anos, portador de paralisia cerebral, ainda usava a pequena cadeira de rodas que recebeu do SUS aos 3 anos. Segundo a mãe Rosineide Macedo dos Santos, que reside na Vila Calu, local próximo ao Jardim Ângela, a cadeira estava muito pequena e as perninhas dele já não cabiam mais. Também não era possível colocar o cinto de segurança. “Sem o cinto, nessa semana ele espirrou e bateu o rosto na cadeira”, diz.

Há dois na fila de espera do sistema público de saúde, ela não tinha ideia de quando receberia um novo equipamento para o filho. Até que, conversando com uma mãe especial sobre a demora da cadeira, soube da existência da FBT e, em seguida, entrou em contato com Cristina Faviere, presidente da ONG. No dia 19 de agosto, ao receber a nova cadeira para o pequeno Gabriel, ela estava feliz. “A nova cadeira vai ajudar em tudo, na escola, em casa, nas brincadeiras e também na postura e desenvolvimento dele”, diz. A cadeira de rodas foi doada pela Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul Lealdade à Ordem, representada pela presidente Ana Gomes, por meio de parceria com a FBT.



Beneficiado pela ONG FBT com uma cadeira de rodas adaptada, GUSTAVO FURLANETO DA SILVA, 15 anos, portador de paralisia cerebral severa, se livrará, enfim, da velha cadeira que ganhou cinco anos atrás. Segundo a mãe Kedima, que reside no Itaim Paulista, o menino cresceu e a cadeira ficou pequena para o seu tamanho, provocando escoliose na coluna. “Ele sente dores na coluna e no quadril”, diz.

Apesar da longa espera na fila do SUS, Kedima não perdeu a esperança de conseguir uma cadeira nova para o filho. Conheceu a FBT por meio de outras mães especiais e poucos meses depois do primeiro contato, seu filho foi beneficiado. “Agora, ele terá mais qualidade de vida, ficará mais confortável e sentirá menos dor. Estou muito feliz e não tenho como agradecer”. A cadeira de rodas foi doada pela Sompo Seguros, por intermédio da FBT.



Até ganhar sua nova cadeira de rodas adaptada, no dia 19 de agosto, em evento promovido pela ONG FBT, GUSTAVO PAES DA COSTA TAVARES usava uma cadeirinha rosa, emprestada por uma menina. “Além de pequena, a cadeira era rosa e, por isso, ele não gostava”, diz a avó Josefa dos Santos Menezes, que cria o menino desde que ele tinha três meses de vida. Moradora no Itaim Paulista, ela conta que ganhou a velha cadeirinha porque outras pessoas se compadeceram ao vê-la carregar o menino no colo para levar ao médico.

Josefa conheceu a ONG FBT quando procurava uma cadeira de banho para mãe. Mas, Cristina Faviere, presidente da ONG, se comoveu com a situação de Gustavo. “Quando ela me disse que a FBT também ia ajudar o meu neto, ali eu chorei, porque era o que eu precisava, até mais do que para a minha mãe, porque saio muito com ele”, diz.

Josefa se considera mãe de Gustavo. “Ele é minha vida e eu cuido dele com muito amor”, diz. Ela se recorda de uma frase que guardou para sempre: “Mais especiais que as crianças, são as mães que Deus designou para cuidar delas”. Por isso, apesar de cuidar sozinha do neto e da mãe, não perde a esperança. “Sei que tem um novo amanhã e preciso estar bem para cuidar deles”. Ao receber a cadeira de rodas adaptada para o neto, ela se emocionou: “Agradeço a Deus e a todos que se compadeceram, não apenas da minha situação, mas de tantos outros que, como eu, não tinha condições de comprar uma cadeira”. A cadeira de rodas foi doada por um doador anônimo, por intermédio da FBT.



Portador de Encefalopatia Mitocondrial, uma doença genética degenerativa, IAN VICTOR MANIÇOBA PAES ALVES, de 6 anos, foi beneficiado pela ONG FBT com uma cadeira de rodas adaptada, em cerimônia de entrega realizada no dia 19 de agosto, no Clube Juventus. Residente em Sapopemba, a mãe Cristina Paes Alves, que chegou até a FBT por indicação de uma amiga, comemora a conquista. “A cadeira nova vai ajudar em tudo, no desenvolvimento, para transportar, para ir à fisioterapia”. A cadeira de rodas foi doada por Liane Boente, por intermédio da FBT.



JOÃO VICTOR DE MORAES DA SILVA, 12 anos, portador de mielomeningocele e hidrocefalia, foi beneficiado pela ONG FBT com uma cadeira de rodas adaptada, no dia 19 de agosto, durante evento realizado no Clube Juventus. Segundo a mãe Cícera de Moraes da Silva, residente no Jardim Planalto, a cadeira veio na hora certa. “Deus é tão fiel que preparou a FBT para ajudar meu filho”, diz.

Por causa da velha cadeira pequena para o seu tamanho, João Victor adquiriu uma escoliose, que deverá ser corrigida por uma cirurgia. A cadeira também estava dificultando ainda mais o deslocamento do menino por meio de transporte público as consultas médicas.

Cícera relata que soube do problema de João Victor ainda no quarto mês de gestação, mas em nenhum momento pensou em interromper a gravidez. Mas, o problema do menino ainda foi agravado no parto, que, segundo a mãe, passou da hora. “Foi um baque, um susto, mas graças a Deus ele está aqui”, diz. No dia da entrega da nova cadeira, ela se emocionou. “Com certeza, meu filho vai ficar mais confortável. Estou muito feliz e muita grata. Que Deus abençoe o Gilmar e lhe dê em dobro”. A cadeira de rodas foi doada por Gilmar Bizulli, por meio da FBT.



JOSE CARLOS DE OLIVEIRA MARQUES, 8 anos, portador de paralisia cerebral, estava sem cadeira de rodas há mais de um ano. A última quebrou e a família não tinha condições de comprar outra. Antônia Evanderly, mãe do menino, residente em Diadema, conta que para ir ao médico ou pedia uma cadeira emprestada ou solicitava uma ambulância. “Por falta de cadeira, ele fica muito no colo e sente dores nas costas e as pernas estão duras”, diz. Cinco meses atrás, ela conheceu a ONG FBT por meio da indicação de outra mãe especial. No dia 19 de agosto, José Carlos e outras 29 crianças foram beneficiados com cadeiras de rodas adaptadas, em evento promovido pela FBT, no Clube Juventus. A cadeira dele, em especial, foi comprada com os recursos da festa junina e bingo promovidos pelo Clube dos Corretores de Seguros do Grande ABC, presidido por Jocimar de Carvalho. “Ele não fala, mas entende que agora vai melhorar, vai poder passear. E eu estou muito feliz, é uma benção. A cadeira para nós faz muita diferença”.



O pequeno KENNEDY MIGUEL, de 5 anos, portador de paralisia cerebral, ganhou sua primeira cadeira de rodas adaptada no dia 19 de agosto. A mãe do garoto, Cristiangela Viana tem outro filho especial, com 18 anos, que anda, mas depende dela para tudo. Por isso, largou o trabalho para se dedicar aos meninos em tempo integral.

Os três moram em São Mateus. “Vivo sozinha com eles, porque, como sempre, os pais abandonam”, diz. A cadeira de rodas recebida da FBT será muito útil. “Eu carregava o Kennedy no colo para ir ao médico duas vezes por semana, mas minhas costas e braços doíam. A cadeira nova vai ajudar muito”, diz. A cadeira de rodas foi doada pela empresa Adaptadas, por meio de parceria com a FBT.

Texto: Márcia Alves


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
INSCREVA-SE PARA RECEBER ATUALIZAÇOES
  • Grey Facebook Icon

© 2017. FAZER O BEM TRANSFORMA. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por WORDCOMM.

São Paulo (SP) |  contato@fazerobemtransforma.org.br|  Tel. 11- 99970 9714