FBT comemora sucesso da Corta GV

Iniciativa dos alunos da FGV fez a doação de cabelos para FBT produzir perucas para mulheres em tratamento contra o câncer.



A campanha Fazer o bem...TRANSFORMA (FBT) comemorou o resultado da edição 2017 da “Corta GV”. A ação criada pelos alunos da Fundação Getúlio Vargas para doar mechas de cabelo para a confecção de perucas escolheu beneficiar novamente a FBT. Durante quase todo o dia, alunos e convidados cortaram seus cabelos com os profissionais voluntários do salão Laces and Hair para doar para a campanha.



Representando a FBT, Cristina Faviere e Marcia Antonio Felipini receberam as doações de mechas. Ao todo, 56 pessoas participaram, a maioria alunas da FGV. Mas também houve a participação de funcionários da faculdade, convidados e de um aluno. Segundo Cristina, a FBT recebe muitos pedidos de perucas e a ação dos alunos da FGV atenderá parte da demanda.

“É uma grande felicidade participar pela segunda vez dessa bela iniciativa.

Graças a essas corajosas meninas, conseguiremos elevar a autoestima de muitas mulheres que perderam seus cabelos em tratamento de quimioterapia”, diz Cristina.



“Estou doando pela segunda vez e gosto muito é gratificante. Não custa nada, o cabelo cresce. Mas, para as pessoas que recebem traz muita felicidade”. MARIANA MAREK, 20 anos, estudante de Administração de Empresas na FGV


“Na época que fiz intercâmbio, doei meu cabelo, mas estava fora do Brasil. Agora, eu queria doar novamente e uma amiga da FGV indicou esta ação. Ao doar meu cabelo, sinto que estou mudando para melhor a vida de alguém e mudando a minha vida também. Disseram-me que fui uma das mais doou cabelo e, por isso, vou acompanhar a entrega. Será um privilégio, uma oportunidade especial”. LORENA GOTZ, 18 anos, estudante de Administração de Empresas no Mackenzie.



“Sempre quis doar, mas sabia onde. Dai a oportunidade caiu do céu quando uma amiga me chamou para esta ação. Doei 20 cm e me senti renovada ajudando uma pessoa a ser feliz”. BEATRIZ SILVEIRA, 19 anos, estudante de Administração de Empresas no Mackenzie.


“Já doei cabelo para outras Ongs. Desta vez, não tinha a intenção de doar, porque queria que crescesse mais. Mas, resolvi ontem à noite. É uma causa muito válida e projeto superlegal. É muito fútil ficar pensando que meu cabelo ficará curto, quando outra pessoa está precisando mais do que eu. Não custa nada doar e pode fazer a alegria de alguém. É isso que me motiva”. ANA LUIZA SECCO, 18 anos, estudante de Direito na FGV



“Cabelo não algo indispensável, cresce. Doar faz bem, me deixa leve dar essa alegria para outras pessoas. É muito bom”. ISABELI ZEITUNE, 18 anos, estudante de Direito na FGV.



“Eu não conhecia a Corta GV e gostei muito. O cabelo não faz muita diferença para mim, cresce logo. É muito prazeroso doar. É tão pouco para quem doa, mas é muito para quem recebe”. JOSILENE SANTOS CELESTINO, funcionária da FGV





“Meu avô está fazendo quimioterapia e isso foi um incentivo a mais para eu doar meu cabelo. A iniciativa é muito boa e uma oportunidade de aumentar a autoestima de mulheres que fazem tratamento contra o câncer. Aproveitei o intervalor para doar meu cabelo. Doei 30 cm, um recorde, e estou muito feliz em poder proporcionar isso para alguém. Vou acompanhar a entrega da peruca e tenho certeza que vou me emocionar bastante”. ISABELA DA SILVA BUFFO, 18 anos, estudante de Administração de Empresas na FGV



“No ano passado, quando era membro do Diretório Acadêmico (DAGV) ajudei na organização do Corta GV. Neste ano, sou diretora e cuido deste e de outros projetos. Para o Corta GV deste ano conseguimos a doação de ovos de Páscoa de palha italiana para doar como brinde e o apoio da Lace and Hair, que foi eleito o segundo melhor salão de cabeleireiros de São Paulo.

No ano passado doei 31 cm de cabelo, em 2014, 32 cm, mas neste ano já não tinha cabelo para doar. Lembro-me que, na primeira vez que doei, meu cabelo estava na cintura. Minha mãe até veio conferir se eu teria coragem de cortar, pois eu nunca deixava ninguém tocar no meu cabelo. Mas, quando vi a empolgação e a felicidade das meninas que doaram, me animei. É muito gratificante. Algumas funcionárias da FGV também resolveram doar. Estou muito feliz com o resultado do Corta GV deste ano”. RENATA GRECO ALFIERI, organizadora do evento, estudante na FGV



“Já havia doado duas vezes. A primeira vez foi porque minha tia teve câncer de mama, então resolvi doar pela causa, fiquei comovida. Depois, minha mãe teve câncer e doei novamente. Desde então, fiquei adepta. Gosto de cabelo curto. Doei 14 cm. O cabelo cresce e não vejo motivo para não doar. Para mim, não faz diferença nenhuma, mas para quem recebe, faz muita. A pessoa em tratamento contra o câncer tem a autoestima prejudicada. Por isso, me sinto bem em saber que posso ajudar”. EDUARDA NUNES, 19 anos, estudante de Administração de Empresas na FGV




“Já doei cabelo duas vezes e hoje doei 11 cm. É muito bom porque não faz nenhuma diferença para mim, mas faz muita para quem recebe. O tratamento contra o câncer é muito difícil e melhorar a autoestima da pessoa pode ajudar na recuperação”. JULIA LOPES MAROTTI, 19 anos, estudante de Administração de Empresas na FGV





Esta é uma ação muito legal. Faço parte do Diretório Acadêmico e queria muito participar. Doei cabelo dois anos atrás e desta vez cortei 20 cm”. LETICIA CRISTINA KANEGAE, 20 anos, estudante de Administração de Empresas na FGV






“Queria doar meu cabelo, mas estava indeciso. Dai a galera me convenceu e eu cortei. Meu cabelo estava grande e eu precisava mesmo cortar porque vou começar a trabalhar. Esta é causa é muito boa e eu me senti mais leve colaborando”. ANTONIO BISELLI COLOMBO, 21 anos, estudante na FGV




“Sempre fui muito apegada ao meu cabelo. Mas pensei nas crianças que não tem nada e eu tenho tanto cabelo... Então, resolvi participar mais pela causa mesmo. Esta é a primeira vez que participo e doei 17 cm. Na hora que cortei senti falta do cabelo, mas depois me senti bem pela atitude”.

MARIA EDUARDA GASPARINI MARIANO, 19 anos, estudante de Administração de Empresas na FGV





“Além de ter perdido uma pessoa por causa do câncer, penso nas crianças sem cabelo por causa do tratamento. Sou mãe e acho que é difícil ver o filho careca. Essa foi a motivação para participar. Doei 17 cm. Quis ajudar, contribuir para melhorar um pouquinho o dia a dia da pessoa que faz tratamento”. ELIANA ASHITANI, funcionária da FGV



“Ajudar, essa foi a motivação do salão participar do Corta GV. Não é a primeira vez que participo de uma ação desta, gosto muito”. ​​AUGUSTA RIBEIRO, responsável pelo salão Lace and Hair.





Posts Em Destaque
Posts Recentes