Campanha entrega 18 cadeiras de rodas adaptadas e festeja Natal com as crianças

Em evento emocionante, familiares das crianças beneficiadas relataram suas histórias e demonstraram gratidão aos doadores e à campanha.

A campanha Fazer o bem... TRANSFORMA (FBT) superou novamente a sua marca, promovendo a doação recorde de 18 cadeiras de rodas adaptadas, no dia 19 de novembro, em Cotia (SP). A idealizadora da FBT, Cristina Faviere, contou com a ajuda de diversos colaboradores para transformar o último evento do ano em uma festa de Natal para as crianças, com direito a presentes entregues pelo Papai Noel. Além do tradicional churrasco, a festa também contou com música ao vivo da dupla Marcos França e Andrea Pamela.


Durante a entrega das cadeiras de rodas adaptadas, a emoção tomou conta de todos. As mães e pais das crianças beneficiadas se revezaram ao microfone, relatando suas histórias comoventes e sua enorme gratidão à FBT. Os doadores também foram convocados por Cristina Faviere para darem os seus depoimentos. Representando a Sompo Seguros, doadora de cinco cadeiras de rodas adaptadas, o superintendente comercial João Melo comentou que a iniciativa está alinhada com a filosofia da empresa. “A Sompo acredita que o bem mais valioso que temos é o bem-estar. Estamos muito felizes em proporcionar melhor qualidade de vida para essas crianças”, disse.


O Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP), que apoia a campanha desde o início, foi representado no evento pelo mentor Adevaldo Calegari e diversos associados. Sem conter a emoção, Calegari comentou a filosofia Ubuntu, que narra a poética história das crianças da tribo africana Bantu. Estimuladas por um antropólogo a competirem por doces, decidiram que não haveria apenas um vencedor, mas que todos teriam direito às guloseimas. A palavra Ubuntu, que na filosofia africana representa a aliança entre as pessoas, pode ser traduzida para o português como algo próximo a crença que conecta a humanidade. “Esta mensagem traduz o nosso pensamento sobre humanidade e solidariedade”, disse Calegari.


Durante o evento, Cristina Faviere recebeu uma justa homenagem de Raquel Gomes, associada do CCS-SP e colaboradora da FBT. “É a pessoa mais linda que conheci no mundo. Todos aqui disseram que vão rezar pela Cris, porque ela é muito importante na vida de cada um. Obrigada por você existir. Nunca pare esse projeto”, disse.


Cristina encerrou com uma mensagem:

- “A cada entrega de cadeiras de rodas adaptadas, novas emoções surgem e novas pessoas se envolvem no projeto. A corrente é aberta e um novo elo se encaixa para seguir junto com a FBT. A festa, sempre tão alegre, reúne pessoas com a mesma intenção de servir, que trazem no rosto a expressão de alegria e gratidão pela oportunidade estar ali. Aqueles que vão chegando, logo entendem e sentem o quanto o ambiente é repleto de amor e respeito pelas crianças. Todos se envolvem com os familiares, a solidariedade se faz presente e o amor transborda. Está mais do que provado que as pessoas suplicam para ajudar o próximo, mas querem também estar próximas para verem o seu feito. Agradeço a Deus pela oportunidade do trabalho e a todos que foram colocados no meu caminho.

Doe uma cadeira de rodas, você pode! ”.


Crianças beneficiadas


ARIANNY LUIZA NASCIMENTO DA SILVA, 3 anos, filha de Maria Aparecida Nascimento, residente em Heliópolis.

Doador: Sr. Pedro

Quando Cristina a conheceu, percebeu logo que a situação era urgente. “Ela não tinha cadeira e usava um carrinho de bebê totalmente inapropriado”, diz. “Como eu só uso ônibus, a cadeira será muito mais confortável para ela e útil para mim”, diz Maria Aparecida.



BEATRIZ CRISTINA PIRES CARLOS, 9 anos, filha de Sonia Aparecida Gonçalves Carlos, residente em São Carlos (SP)

Doador: Sompo Seguros

Depois que os filhos casaram, Sonia Aparecida, já viúva e sozinha, ganhou um presente: um bebê. “Sou mãe de coração e de alma também, porque uma alma escolheu a outra”, diz. “Estamos muito felizes”, diz a mãe.




BRUNO MARION, 4 anos, bisneto de Antonia Faria de Oliveira, residente na Vila Mazzei

Doador: Anônimo

Mesmo com todas as dificuldades que a idade avançada impõe, Antonia cuida do bisneto com paralisia cerebral há quatro anos. “Um ajuda ao outro”, diz. Até recentemente, Bruno usava uma cadeira de rodas emprestada, mas “Estou muito feliz, porque sei que agora ele terá uma cadeira própria, adaptada ao corpo dele. É muito cara e eu jamais poderia comprar”, diz.


CAIO CARVALHO, 3 anos, filho de Anderson Carvalho, residente no bairro Morro Doce.

Doador: Richard Hesler Furck

Com carinho, Anderson Carvalho segura seu pequeno e único filho no colo e passa a relatar, emocionado, a saga do menino que sobreviveu a inúmeras batalhas contra a morte, desde o nascimento. Caio conheceu a campanha e conseguiu a doação da sonhada cadeira. “Será maravilhoso, ele poderá ir à escola, passear no parque, se locomover”, diz o pai.



CAMMILY VITÓRIA DA SILVA ATANASIO, 13 anos, filha de Rita de Cassia da Silva Atanasio, residente em Parelheiros

Doador: Daniel e amigos

A mãe Rita de Cassia explica que a menina não tinha cadeira. A última ficou pequena e acabou doada para outra criança. Sem o equipamento, Cammily foi obrigada a abandonar a escola dois anos atrás. “Ela chorou muito”, diz. “A Cammily é muito inteligente e agora, com a cadeira, poderá voltar a estudar e continuar o tratamento médico. Estamos muito felizes”, diz.




ELLEN SOPHIA, 4 anos, filha de Evellyn Ferreira dos Santos, residente no Jabaquara

Doadores: Lu Penna e Adriana Marchetti

Na fila de espera por uma cadeira de rodas adaptada para a filha há três anos, Evellyn já estava desesperançada. A menina nasceu prematura e aos quatro meses foi diagnosticada com paralisia cerebral. “É tão gratificante receber esta cadeira para a minha filha, ainda mais em uma festa como esta, em que a gente se sente tão bem”, diz.




EVELYN CRISTINA, 9 anos, neta de Marilucia da Silva, moradora no Jardim Angela

Doadores: Lu Penna e Adriana Marchetti

A paralisia cerebral que Evelyn adquiriu ao nascer comprometeu a sua parte motora, impedindo-a de falar, mas não de se comunicar “Ela é muito inteligente e tem a memória melhor que a minha”, gaba-se a avó Marilucia, que detém a guarda da menina desde o nascimento. Ultimamente, Evelyn estava sofrendo com a cadeira de rodas pequena, que ganhou aos 5 anos de idade. “Ela está tão empolgada que não quis nem comer”, diz avó.



GABRIEL AUGUSTO PEREIRA, 9 anos, filho de Alberto Augusto Pereira, residente no Jaraguá

Doador: Liane Boente

Alberto é um exemplo de pai. Separado da esposa, ele parou de trabalhar apenas para cuidar do filho Gabriel, portador da rara síndrome West (doença que produz epilepsia contínua e causa danos cerebrais). Além de não ter movimentos, o menino não fala e se alimenta apenas por sonda. O menino usava uma cadeira de rodas que ganhou quando tinha 4 anos. Por indicação, conheceu a FBT. “A Cris foi um anjo que Deus colocou no nosso caminho”, diz.




GIOVANNA FERREIRA DA SILVA, 12 anos, filha de Joana D’Arc Ferreira da Silva, residente em Santo Amaro

Doador: Max Saúde

Giovanna luta pela sobrevivência desde antes de nascer. A mãe Joana D’Arc conta que levou um tombo durante a gestação e lesionou o bebê. Aos onze meses de idade, a menina caiu da cama, teve convulsão e ficou seis meses internada. De volta para casa, teve uma pneumonia, que se agravou bastante a ponto de fazê-la perder as funções motoras e prejudicar a fala. Sem ter a quem recorrer, a mãe não tinha muita expectativa de conseguir substituir a cadeira de rodas que a menina ganhara quando tinha 5 anos. A vizinha indicou a FBT. “Se dependesse do SUS, esperaria muito”, diz.



LAURA DE ALMEIDA GARCIA, 6 anos, filha de Aline de Almeida Garcia, residente no Jabaquara

Doador: Mara Borges Sutto

“A primeira vez que vi a Laura, me apaixonei. Olhei para ela e comecei a chorar, foi um sentimento muito forte, algo divino que tocou meu coração”. Assim a doadora Mara Borges Sutto descreve o seu encantamento pela pequena Laura, que conheceu na casa de Cristina, meses atrás. “Senti no coração que era responsabilidade minha doar a cadeira de rodas para ela”, acrescenta.




LUIZ GABRIEL GUIEDES SILVA, 11 anos, filho de Vanda Guiedes, residente em Cotia (SP)

Doador: Carlos Magalhães

Com uma cadeira usada, remendada com fios e não adaptada ao seu corpo, Luiz Gabriel se queixava muito de dores nas costas. Apesar da paralisia cerebral, Luiz Gabriel é inteligente, comunicativo e estudioso. Havia três anos que ele esperava uma cadeira de rodas nova, até que nova esperança surgiu depois que a irmã Agaty fez contato com a FBT. “A nova cadeira vai mudar a vida dele. Estou muito feliz”, diz Vanda.



MARYA EDUARDA GOMES, 5 anos, filha de Luciana Teixeira Gomes, residente em Santo Amaro

Doador: Sompo Seguros

Apesar do parto complicado, Luciana tinha certeza que Marya Eduarda estava bem. Mas, com 1 ano e meio, ela não sentava e tinha outras dificuldades de locomoção. Os exames posteriores comprovaram a paralisia cerebral. Até que recebeu uma mensagem de Cristina Faviere. “Você acredita que Deus colocou a sua filha na minha vida para eu dar uma cadeira de rodas pra ela?”. “Preciso me beliscar para saber que não estou sonhando”, diz Luciana.



MIKAEL CUPERTINO DOS SANTOS, 14 anos, filho de Valdeci Maria de Sousa Santos, residente em Itaquera.

Doador: Sompo Seguros

Valdeci conta que a paralisia cerebral de Mikael surgiu depois do parto difícil. Na luta diária para cuidar do filho, ela não esmorece, mesmo tendo de se deslocar diariamente da zona Leste até o Ibirapuera para leva-lo á escola. O menino usava uma cadeira emprestada, mas, que já estava bem pequena. “É muito desconfortável. Por intermédio de uma amiga, Valdeci conheceu a FBT. “Será muito útil para meu filho”, diz.



MURILO SOARES SOUSA, 6 anos, filho de Joseni Soares dos Santos, residente no Parque Paulistano.

Doador: Richard H. Furck

As sequelas de ser um prematuro extremo foram a paralisia cerebral e a epilepsia. Mas, não bastassem as duas patologias, o garoto também adquiriu uma escoliose, causada pela cadeira inadequada. A mãe conta que há dois anos e meio aguardava a doação de um equipamento novo. Então, conheceu Cristina por meio do site da FBT. “Foi um anjo em nossas vidas. Ele vai ficar mais confortável e poder se locomover melhor”, diz.



PABLO GUILHERME FACHIN GENEROSO, 12 anos, filho de Solange Fachin, residente no Jaguaré.

Doador: Sompo Seguros

Pablo Guilherme nasceu prematuro, aos 8 meses, mas a mãe Solange tem certeza que a paralisia cerebral foi resultado de falha dentro do hospital. Sem recursos para comprar uma cadeira de rodas adaptada, ela aguardava por uma doação para o filho havia quatro anos. Até que, recentemente, uma amiga lhe passou o contato de Cristina. “Será maravilhoso para ele ter uma nova cadeira”, diz.




RODRIGO GABRIEL PORTO, 4 anos, filho de Aline Porto Santos, residente no Jardim Ângela

Doador: Sompo Seguros

Durante quatro anos, Aline alimentou a esperança de ver o pequeno Rodrigo andar. Por isso, resistiu o quanto pode à ideia de obter uma cadeira de rodas para o menino. Foi Cristina que a convenceu Aline de que uma cadeira de rodas era mais confortável para o menino e para ela também. “A Cris me disse que estava atrás de pessoas que Deus estava mostrando para ela. Naquele momento, eu aceitei a cadeira”, diz.



RODRIGO SILVA DE CARVALHO, 17 anos, filho de Luzineide Santos Silva, residente no Jardim Peri.

Doador: Max Saúde

Vítima de uma rara doença genética, Rodrigo adquiriu paralisia cerebral, que comprometeu suas funções motoras e cognitivas. Ele aguardava uma cadeira de rodas adaptada havia oito anos. “Não tenho recursos financeiros para comprar uma cadeira. Mas, graças a Deus, encontrei a Cris, essa alma generosa que fez tudo acontecer”, diz a mãe Luzineide. “A vida dele vai melhorar 100”, diz.




VIVIAN DA SILVA SOUSA, 12 anos, filha de Ana Paula da Silva, residente na Vila Formosa.

Doador da cadeira: Max Saúde

Mesmo depois de ter enfrentado, recentemente, uma infecção hospitalar que quase provocou a amputação dos seus pés, depois de uma cirurgia, Vivian Sousa não perdeu a fé na vida e tampouco a esperança de voltar a andar. “Ela é muito especial e não precisa de muito para ser feliz”, descreve a mãe Ana Paula. Sua cadeira de rodas foi obtida, quando ela tinha 10 anos de idade, depois de uma espera de dois anos. “Agradeço a Deus ter colocado uma pessoa tão boa no nosso caminho”, diz a mãe.


Texto: Márcia Alves Fotos: Carlos Candido

#Fazerobemtransforma #FBT #CristinaFaviere #cadeirasderodas

Posts Em Destaque
Posts Recentes